Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Institucionais > Atleta de Karatê do projeto social da PMDF fatura o ouro e classifica para o Brasileiro
Início do conteúdo da página

Atleta de Karatê do projeto social da PMDF fatura o ouro e classifica para o Brasileiro

Publicado: Sexta, 06 de Setembro de 2019, 14h04 | Última atualização em Sexta, 06 de Setembro de 2019, 14h32 | Acessos: 155

 

Por Karina Linhares

Crianças e adolescentes que vivem em Planaltina do Distrito Federal, participaram da Copa Chermont de karatê, no Ginásio de Esportes em Sobradinho. O sonho só foi possível graças a um projeto social de artes marciais da Polícia Militar do DF, por meio do sargento Farias, professor de Karatê. O evento, organizado pela Federação Candanga de Karatê, ocorreu no último dia 25, e serviu como seletiva classificatória para o campeonato brasileiro do esporte no ano que vem, em Uberlândia, Minas Gerais.

Os 13 atletas do Projeto Professor Jackson, que é uma ramificação da Unibrack (associação de Karatê a qual tem como diretor o policial militar sargento Farias), conquistaram 20 medalhas, além de cinco troféus. Para o técnico, o campeonato foi um sucesso e orgulhoso afirmou: “é incrível, me enche de alegria ver os resultados de um trabalho persistente, exaustivo e de muito treino e dedicação”.

O Programa foca na educação por meio do esporte, incentivando às pessoas mais necessitadas a uma oportunidade de crescimento e saúde. A associação foi muito bem representado nos tatames. Duas atletas do projeto social da Polícia Militar do DF de Planaltina foram destaque na competição. Nathaly, 17, que treina Karatê há nove anos, faturou o ouro e subiu ao pódio em grande estilo “pretendo ficar entre as três primeiras da categoria no campeonato brasileiro e ser selecionada para disputar o sul-americano”.

Já Alessandra Lacerda, outra favorita, de apenas 15 anos, dessa vez ficou em 4ª lugar, adquirindo experiência e serenidade para as próximas lutas. “O excepcional é que elas nunca treinaram em uma Academia, sempre foram disciplinadas e empenhadas mesmo com condições de equipamentos precários e falta de investimentos”, assegura o técnico, sargento Farias.

Motivado por imensa gratidão ao esporte e crença num futuro melhor para meninada que não pode pagar para treinar, o sargento resolveu abrir uma escolinha de Karatê em escolas públicas de Planaltina.

Ele acredita que a inclusão pelo esporte, são exemplos de perseverança e solidariedade que se destacam nas diversas ações esportivas e gratuitas da corporação e trazem esperança para um futuro melhor, cheio de planos e sonhos para a criançada.

Caráter, disciplina, respeito e esforço são os lemas que os alunos aprendem desde cedo com seus mestres e policiais militares. O projeto começou há 35 anos, quando o professor Jackson decidiu ajudar quem não podia pagar às aulas.

Fim do conteúdo da página