Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

De pai pra Filho

Escrito por Kelly Marques | Criado: Sexta, 07 de Agosto de 2020, 09h33 | Última atualização em Domingo, 09 de Agosto de 2020, 08h38 | Acessos: 683
Foto: Fabbri Pinho/CCS/PMDF

Por: Karina Linhares

Policial militar há 28 anos, o subtenente Edilson Bezerra, atualmente lotado no CAEAP, é pai do soldado Lucas (23), lotado no 20º batalhão. De pai para filho, a relação se constrói dia a dia, na mesma profissão, em sonhos parecidos, na mesma dedicação e abnegação no trabalho de amor ao próximo, que é a essência do policial militar. Lucas conta que desde criança já admirava o pai, quando o via todo fardado chegando em casa do policiamento. Para o soldado a parte mais difícil para realização do sonho foi os estudos, “fazer faculdade e estudar para o concurso da Polícia Militar não era fácil, era uma rotina exaustiva, mas que tá valendo à pena”.

O pai ressalta que sempre o incentivou, explicando sobre a importância dos estudos para alcançar o objetivo principal e seguir a carreira almejada. Lucas garante que aprendeu como seguir os passos do pai, porém como deixar sua marca individual nas pegadas, protegendo e guardando a população da capital federal.

O grande desafio agora para ambos é enfrentar a pandemia. Pai e filho concordam que o dever os convoca e o amor ao próximo os aproxima, “é uma situação bem complicada, mas estamos tentando ao máximo manter as recomendações das organizações de saúde.

A Mãe Vanusa admite sentir uma certa angustia quando vê seus dois maiores amores tendo que lidar com tão arriscada profissão, “difícil ver meu esposo e filho saindo de casa para trabalhar. Meu sentimento é de aflição, mas ao mesmo tempo de gratidão. Vê-los se arriscando pra defender a segurança do próximo é tão nobre, porém muito gratificante. Agradeço a Deus todos os dias pelos homens de caráter que Deus colocou em minha vida.

O subtenente narra como ele percebeu que o filho seguiria os mesmos passos: quando eu trabalha no 2º Batalhão de Polícia, no grupo Tático Operacional, chegava em casa contando como tinha sido meu trabalho e as ocorrências que pegava, percebia a empolgação do meu filho ao ouvir as histórias. Naquele momento, eu já tinha sentimento de muita felicidade, pois sabia que trilharia um bom caminho. Tive a oportunidade de trabalhar durante o curso de formação ao lado do meu filho, onde deslocávamos juntos para o curso. Assim que ele formou, tive a honra de trabalhar lado a lado no carnaval de Brasília, é inexplicável, pois a nossa profissão é perigosa e não há como eu o proteger, pois cabe a ele executar toda e qualquer missão a ele atribuída.
Quando o vejo se arrumando para a lida, me vejo há 28 anos nele, saindo com muita empolgação e satisfação para o trabalho. Meu coração fica um pouco apertado e preocupado, pois sabemos que ao sairmos, arriscamos não retornar.”

“PAI, nesse dia dos pais, só queria que o senhor soubesse que sou muito feliz e grato pela vida do senhor, quero te desejar tudo de bom hoje e sempre e que Deus te conserve nesse jeito alegre de ser para toda a vida. Que eu possa comemorar muitos outros dias dos pais ao seu lado!
Feliz dia dos pais”, Lucas Bezerra.

Fim do conteúdo da página