Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

25º Batalhão celebra a união da força jovem com a experiência de policiais antigos

Escrito por Alan Borges | Criado: Domingo, 09 de Janeiro de 2022, 08h02 | Última atualização em Domingo, 09 de Janeiro de 2022, 22h32 | Acessos: 333

O 25º Batalhão, no Núcleo Bandeirante, homenageou os policiais que deixaram a unidade neste sábado (8). A cerimônia marcou também a chegada dos novos aspirantes que vão compor o quadro do batalhão.

Para coroar o momento, o 25º Batalhão montou a Operação Lockdown, com barreiras nas saídas do Núcleo Bandeirante, Candangolândia e Park Way. De acordo com o segundo-tenente Salvador, o objetivo foi intensificar o policiamento. “Reforçamos a presença policial nos pontos mais sensíveis dessas áreas”, explicou.

Antes de liberar o reforço no patrulhamento da região com 45 policiais, o comandante da unidade, major Fernando Siqueira, homenageou os oficiais que chegaram e os que deixaram o batalhão. “Temos o desafio de tornar o 25º o melhor e mais saudável batalhão, emocional e fisicamente”, destacou.

Um dos homenageados foi o capitão Carlos Borcem, subcomandante da unidade. Ele passou oito anos servindo o quartel do Núcleo Bandeirante e conta que, desde a época de aspirante, desejava trabalhar ali. “É um quartel que faz parte da minha vida”, revelou. “Esse espírito fraterno que faz a fama do 25º BPM. Um quartel família, onde todos se apoiam e se ajudam”.

Além do capitão Borcem, deixaram a unidade os tenentes Franco e Ramiro.

O quadro de oficiais do quartel foi reforçado com a chegada dos aspirantes Eudes Oliveira, Ivan Xavier, Atrícia e Matos.

Apesar de não trabalhar no 25º Batalhão, o subtenente Almir Mota, do Batalhão Rural, também foi homenageado. A ideia foi mostrar aos aspirantes a importância de valorizar a energia dos novos policiais com a experiência dos antigos.

O major Siqueira destacou a importância que o subtenente tem na carreira dele. “Se eu pudesse escolher um policial que me ensinou a trabalhar nas ruas, certamente é o A. Mota”, enfatizou. Os dois trabalharam juntos no 1º Batalhão nos primeiros anos do major Siqueira na Polícia Militar.

Fim do conteúdo da página