Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Nota de pesar: Coronel Edes Costa

Escrito por Sergio Aldir | Criado: Terça, 21 de Setembro de 2021, 10h03 | Última atualização em Terça, 21 de Setembro de 2021, 22h37 | Acessos: 690

Nesta terça-feira (21), o Coronel Edes Ex. Comandante-Geral faleceu aos 80 anos, em Brasília. É com pesar que a Polícia Militar do Estado do Distrito Federal sente a grande perda. O policial militar veterano ingressou nas fileiras da briosa em 1967.

Em 1988 o coronel Edes Costa foi o 1º Comandante da Academia de Polícia Militar de Brasília – APMB. A unidade de ensino da corporação responsável por formar, habilitar e aperfeiçoar oficiais e praças, além de oferecer graduações que visam à qualificação e o aprimoramento profissional da tropa.

Saudosas serão as memórias ao inesquecível Coronel Edes Costa que durante toda sua trajetória esteve diretamente envolvido com a sociedade do Distrito Federal, pois era apaixonado pela Polícia Militar e sempre se dedicava ao cumprimento das missões repassadas, sabendo com inteligência e alto profissionalismo orquestrar as dificuldades e transcender os maiores obstáculos. Também participou de incontáveis grandes êxitos da corporação na harmonia social da Capital Federal.

Saudades eternas de todos os amigos e companheiros de farda que aplaudem e agradecem a sua participação positiva e fundamental nesta corporação.

Não haverá velório no Campo da Esperança. O corpo segue para o crematório às 09h e será cremado às 10h.

À família nossas consternações e sentimentos.

 

Homenagem póstuma ao Coronel PMDF Edes Costa

Foi com profunda tristeza que minha família recebeu a notícia do falecimento do dileto chefe e amigo, que vinha lutando bravamente contra uma terrível doença, após ter sido internado durante cerca de 30 dias em Hospital de Brasilia.

Desde que nascemos aprendemos com nossos antecedentes que um dia partiremos desta vida, cada um no tempo determinado pelo nosso Criador. Todavia não imaginávamos que hoje, dia 21/09/2021, seria o dia da partida desse nosso querido irmão. Deus chamou o Cel Edes, pois somente ele, era sabedor de que sua missão acabara aqui na Terra; ele cumpriu a missão que LHE foi designada com total espírito de humanidade, deixando simpatia e admiração por onde passou; respeitado por seus subordinados e elogiado por seus superiores hierárquicos pela retidão em todas as suas condutas.

Desde que eu ingressei na nossa briosa Policia Militar do Distrito Federal, em março de 1971, fui recebido pelo então Primeiro Tenente Edes, com enorme fidalguia e, pouco a pouco, criou-se entre nós, uma especial empatia, a ponto de tornarmo-nos compadres.

Nossas relações familiares foram solidificando-se ano a ano, haja vista que seus filhos Ricardo e Renato foram colegas contemporâneos dos meus filhos, nos bancos escolares das Escolas- Classes e no Colégio Militar.

O Cel Edes vai deixar muita saudade a nós e a sua querida Familia: Lourdes (esposa), Ricardo e Renato (filhos) e netos.

Eu, particularmente, sou muito grato ao Cel Edes, pois socorreu-me, a tempo, quando fui acometido de um enfarto do miocárdio, na Emergência do Hospital das Forças Armadas, em agosto de 1979. Durante meus momentos de grandes dificuldades, lá estava ele ao meu lado, a fim de estender-me sua mão ou para orientar-me com sua incontestável sabedoria.

Até mesmo em momentos de nossas vidas, sempre estivemos juntos, apoiando-nos mutuamente, entretanto, desse meu irmão amigo quero guardar comigo apenas boas lembranças que desfrutamos do convívio de nossas famílias.

A exemplo disso, registro aqui um fato pitoresco vivenciado na ocasião em que o meu saudoso pai, levou daqui do Rio Grande, via VARIG, uma maleta contendo uma enorme paleta de ovelha, para saborearmos com um churrasco feito pelo próprio “dono da mala”, no Clube do Exército.

Neste momento de dor, nos resta apenas rogar a DEUS para que receba nosso irmão na fé em Cristo, EDES COSTA, no Reino da Sua Gloria e conforte os corações sofridos dos seus entes queridos e amigos que aqui ficam.

Nosso maior consolo é termos a certeza de que o CEL EDES, chamado que foi, já está cumprindo uma outra nobre missão, desta feita, ao lado do Grande Arquiteto do Universo.

AMIGO e IRMÃO, EDES COSTA! Descanse em Paz! Até breve!

Santo Ângelo – RS, 21 de setembro de 2021

Valdir Rodrigues GONÇALVES – Cel Ref. PMDF

Integrante da “Turma Ralphe Veleda” (EAO/1971)

 

 

 

 

Fim do conteúdo da página